Buscar
  • Zé Américo

Ranking 2020 Inspiration Photographers

O fechamento de um ciclo. Senta que lá vem textão! kkk


Iniciei na fotografia em meados de 2017. Como a maioria dos fotógrafos quando começam, experimentei incontáveis nichos (MESMO!): ensaios de todos os tipos. (Individuais, casais, famílias, gestantes etc.), sessões ao ar livre, em estúdio, com cenários temáticos, aniversários, batizados, moda, produtos, noivados, casamentos, bodas, partos, eventos corporativos... Enfim, atirei para todo lado em busca de algo que me fizesse ter a certeza de que estaria me aprofundando em uma área da fotografia que me realizasse plenamente como profissional e como pessoa, pois naqueles momentos, a única certeza que eu tinha era de que eu queria trabalhar com fotografia para o resto da vida. E essa busca aconteceu enquanto eu trabalhava em um emprego formal em uma empresa de sistemas, me dedicando ao meu sonho nos finais de semana e nos estudos e edições de fotos madrugadas à dentro nos dias de semana.


Neste processo de autoconhecimento e caminhar de encontro à minha identidade como fotógrafo, fui aos poucos me apaixonando até me encontrar verdadeiramente na fotografia documental de família. A partir de janeiro do ano passado (2020), decidi encarar novos desafios e participar de concursos fotográficos. Depois de ter passado de 2017 até 2019 acompanhando de longe os resultados dos concursos da Inspiration Photographers e (literalmente) me inspirado com tanto trabalho incrível de ilustres colegas (que até então eu nunca tinha tido contato) que já estavam em um patamar de maturidade que eu ousava sonhar chegar também um dia, o meu intuito, naquele mês, era apenas passar o óleo de peroba na cara e entrar ali, no meio das grandes referências do mercado nacional e internacional de fotografia de família. Tentar me enturmar, conhecer essas pessoas. Certa vez ouvi dizer que somos a média das 5 pessoas que mais convivemos. Imagine, começar a trocar figurinhas com tanta gente FODA!? Um suprassumo.


Com essas intenções, comecei então a colocar meu trabalho à prova. Tendo como objetivos também, aprimorar as minhas técnicas, o meu olhar, a minha curadoria de imagens e evoluir. Evoluir para que eu pudesse entregar cada vez mais qualidade nos meus trabalhos para os clientes também. Enxergar, através das notas dos jurados, das trocas de experiências com o(a)s colegas, dos erros, dos acertos, formas de ir pouco a pouco, concurso à concurso, ajustando o que tinha que ajustar, o que tinha que melhorar... Enfim. Para, quem sabe do ano seguinte (2021) em diante, sonhar com algo maior, ganhar prêmios, entrar no ranking...


Bom, todas as dificuldades que rolaram durante o ano onde enfrentamos, todos nós, uma pandemia mundial, quando famílias tiveram perdas irreparáveis, muitas vidas e empregos perdidos, a saúde mental em diversos momentos indo para o ralo trancados em casa de mãos atadas, eu não preciso nem entrar no mérito do quão pesado foi. É notório. Mas o fato é, que como eu sempre digo: tirando as coisas ruins, só ficam as boas! E é nisso que devemos focar, se não a vida perde completamente o sentido.


E surpreendentemente eu tive um primeiro ano de associado à Inspiration muito acima das minhas pretensões. Conheci grande parte dos fotógrafos e fotógrafas que sempre foram referências para mim. Posso, inclusive, chamar várias destas pessoas de amigas atualmente, pela convivência quase que diária, de forma virtual, seja no telegram, no whatsapp ou em vídeo conferências, ou pessoalmente, com muita troca de informações, muita zoeira, muito companheirismo, ajuda e torcida um(a) para o outro(a) à cada round de concurso. Conquistei: 13 selos (fotos premiadas) 05 menções honrosas 01 best collection (melhor coleção de família, onde o prêmio é para o conjunto da obra, um álbum de 20 fotos de um mesmo ensaio/sessão)

E com isso, não só entrei no ranking anual de fotógrafos mais premiados do ano em fotografias de família, como entrei no TOP 20 (em 13° lugar) (Clique nas imagens abaixo para ver o ranking oficial)


E para fechar o ciclo com chave de ouro, fui indicado ao Golden Lens Awards 2020 (considerado por muitos o Oscar da fotografia de casamento e família) na categoria: Brazil Family Photographer Revelation Of The Year

(Clique na imagem abaixo para ver os indicados no site oficial)


E, para muitos, é "só uma indicação". Não ganhei o troféu de revelação do ano. Mas para mim, tem um sabor muito especial de realização pessoal/profissional. (não é todo dia que se tem a possibilidade de concorrer à um troféu de tamanho renome). Nos meus melhores sonhos lá de janeiro de 2020, essa indicação só teria sido mais tangível a partir deste ano ou do próximo, depois de muito suor, estudos e trabalhos. Ter acontecido tudo isso já no meu primeiro ano de associação, me mostra que estou seguindo firme nos meus propósitos e que a fotografia documental de família é o que AMO fazer. A fotógrafa eleita revelação do ano de 2020 (com muitooo mérito e que também ficou em 1° lugar no ranking geral) foi a minha amiga Camila Mendonça, de SP. E eu fiquei muito feliz por ela e o troféu não poderia ter outro destino por tudo o que ela fez e mostrou neste ano de 2020.


E por último, mas não menos importante, este ano a Inspiration lançou um concurso específico para retratos (portrait). Participei desta categoria também e entrei para o TOP 50 (em 27° lugar). E em retratos, outra grande amiga ficou em 1° lugar, a Chris Bueno. (Parabéns Chris, voa, mulher! Você merece muito esta conquista!)









E é isso! Em 2021, já estou arregaçando as mangas para estudar e trabalhar bastante. E espero seguir nesse caminho de buscas constantes por evolução. Meus clientes não merecem nada menos do que isso. À Deus, minha família, clientes e amigos, o meu MUITO OBRIGADO. Por estarem sempre por perto, acompanhando a minha trajetória nesta profissão que escolhi (ou que ela me escolheu, sei lá!?) e que AMO!


Que tenhamos todos um ano de novas realizações e conquistas e acima de tudo, de muita saúde para vivermos os sonhos que lutamos para viver!

53 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo